No final das contas, a ''Nova Rondônia'' era mesmo um simples slogan de campanha; doentes do chão à garagem no JP II e as inúmeras greves de Confúcio

E ainda: os R$ 20 milhões do Legislativo pelo fim da greve, e Aluízio Vidal bate o martelo

Vinicius Canova / O Espectador
Publicada em 05 de abril de 2018 às 14:20

O Espectador

A visão de fora de quem está por dentro

Por Vinicius Canova (viniciuscanova89@gmail.com) / http://oespectador.com
________

Missão

Quando iniciei minhas funções no Rondônia Dinâmica, em setembro de 2010, Confúcio Moura (MDB) costurava a pleno vapor sua candidatura ao Governo de Rondônia. Mas minha primeira grande missão em termos de reportagem foi justamente cobrir sua posse, no dia 1º de janeiro do ano seguinte, em sessão do Legislativo ocorrida na Nautillus.

Nova Rondônia

Não sabia se os efeitos do pós-réveillon estavam afetando meu juízo à ocasião, mas havia algo naquele pronunciamento sobre “A Nova Rondônia” que me deixou, confesso, ligeiramente otimista. Com 21 anos, ainda me permitia a desventuras panglossianas.


ALE/RO empossa Confúcio em janeiro de 2011

Sonhador

Confúcio sempre nutriu uma veia poética e pautou muitos dos seus discursos em filosofias vãs – o blog homônimo é a expressão máxima do que estou dizendo; e isso não é exatamente um defeito, mas certamente está longe de traduzir virtudes. Até porque utopia não sacia a necessidade dos que têm fome de realidade.

Simples slogan de campanha

Naquele distante 1º de janeiro, o governador deixou claro a quem quisesse ouvir: “A Nova Rondônia é um simples slogan de campanha”. E prosseguiu dizendo: “É a Rondônia de sempre investida de novos compromissos”. A obviedade conclusiva, claro, não fora mencionada durante a campanha.

Professores

No discurso de posse, o emedebista chegou a declarar, enquanto falava sobre pretensões à educação: “Assumo frontalmente o meu compromisso com a EDUCAÇÃO [sim, em caixa alta]”. Em outra passagem, pontuou: “Além do mais, com professores respeitados, qualificados e comprometidos”. Pergunto: será que os educadores, completamente ignorados pelo chefe do Executivo, se sentem respeitados?  Questionar não ofende...


Confúcio sai dando as costas aos professores: respeito?

Universidade Estadual

“A Universidade Estadual que entrará em ação gradualmente, a principio com a modalidade à distância com tutoria para todo Estado. E a educação integral da mesma forma”. Hum, cadê?

Presídios?

Outra parte interessante sobre o manifesto inaugural de Confúcio está ligada às condições das unidades penitenciárias de Rondônia. Negativamente interessante, quero dizer – se é que é possível nomear assim. Sobre isso, asseverou: “A palavra de ordem é o da humanização dos presídios, centrado na dignidade da pessoa humana, na educação e no trabalho dos apenados”.


MNPCT aponta "humanização" no Urso Branco

Caso das ratazanas

O caso das ratazanas exposto recentemente pela mídia nacional ilustra perfeitamente mais uma promessa não cumprida. Isso, por si só, expõe a omissão e a negligência estatal diante da tragédia penitenciária brasileira à qual Rondônia orgulha-se em fazer parte.

Mas não é só isso

Em outubro de 2016, o Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (MNPCT), ligado ao governo federal, elaborou extenso relatório técnico sobre unidades prisionais de Rondônia. A Casa de Detenção Dr. José Mário Alves da Silva, conhecido como Presídio Urso Branco, só para se ter ideia, apresentou um percentual de superlotação de 48%.  Para acessar o relatório completo basta clicar aqui. Claro, se você for do time “bandido bom é bandido morto”, Confúcio agiu corretamente; mas, mesmo agindo como um idiota, pense: também há servidores que trabalham nas unidades.

Do chão à garagem do JP II

Confúcio disse: “sou médico e conheço a saúde pública”. E, logo após, prometeu: “Diante disto, tenho condições de garantir que irei melhorar os serviços.  1 – Tirar os doentes do chão e das macas no Pronto Socorro Estadual de Porto Velho”. De fato, o JP II melhorou, mas há gambiarras ainda inaceitáveis: os doentes saíram do chão à garagem da unidade.


Do chão à garagem: até página de humor fala sério na hora de abordar a tragédia / Humor PVH

Greves

Há muito mais a ser pontuado e discutido, mas, para finalizar, o chefe do Executivo tocou em outra ferida aberta: “Sempre me dei bem com os servidores públicos. E vou continuar do mesmo jeito. Quem tem recursos humanos bem preparados move o mundo inteiro. Não terei nenhuma greve no meu governo. Todo mundo sabe fazer conta e saberá entender os limites do Estado que são previstos em lei”. Esse trecho específico prescinde de maiores digressões. Não há um movimento paredista em aberto justamente agora enquanto você lê esta coluna?

Falando em greve...

O presidente do Legislativo Maurão de Carvalho, do MDB, ofereceu R$ 20 milhões para contribuir com o fim do movimento; no vídeo publicado pelo Rondônia Dinâmica, o deputado Jesuíno (MDB) contagiou-se com a felicidade dos professores enquanto lia a renúncia de Confúcio. Hermínio – agora no PCdoB – pediu que a gestão “deixasse pelo menos o cofre”. E só pra constar: em agosto de 2011, os agentes penitenciários já deflagravam greve. Pois é... e houve outras tantas, diga-se de passagem. Leia em: Maurão oferece R$ 20 mi do Legislativo para acabar com a greve; o riso maroto de Boabaid – e Hermínio sobre renúncia de Confúcio: ‘Graças a Deus, já foi tarde’


Em agosto de 2011 já havia greve no governo que não teria nenhuma

Conclusão

No fim, Confúcio foi, neste quesito, honesto: a “Nova Rondônia” era mesmo apenas um simples slogan de campanha. Esperemos pelo próximo que irá nortear sua pretensa candidatura ao Senado Federal.

Aluízio Vidal bate o martelo

O pastor Aluízio Vidal, hoje na REDE, esperou as movimentações de outros pré-candidatos para bater o martelo. Ou seja, ele irá, sim, disputar uma das duas vagas de Rondônia no Senado Federal: “certo de que ela [pré-candidatura] terá uma característica de renovação e suprapartidarismo, certo de que não teremos a mesma estrutura dos outros candidatos, mas contando muito com o engajamento de quem quer renovar o padrão rondoniense”. Vidal tem eleitorado forte e ascendente em Porto Velho, onde vive.


REDE se organia no Estado

Mídias sociais

Assim como o pré-candidato ao governo de sua legenda, Vinicius Miguel, Vidal utiliza as redes sociais para dar amplitude às ações de pré-campanha e expor os ideais que o motivam à participação no pleito. “Algumas reuniões já foram feitas com lideranças partidárias diversas e coordenações regionais e de classe estão sendo constituídas, contando muito com as mídias sociais”.

Coluna

Você entra em contato com “O Espectador” através do e-mail viniciuscanova89@gmail.com. Fique à vontade para apresentar críticas e/ou sugestões. Inté!

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook