Temer recebe Maia, líderes de partidos e ministros em café no Alvorada

Participam do café ministros como o da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do Planejamento, Dyogo Oliveira.

Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil
Publicada em 06 de dezembro de 2017 às 10:10
Temer recebe Maia, líderes de partidos e ministros em café no Alvorada

Em mais uma etapa de negociações pela aprovação da reforma da Previdência, o presidente Michel Temer recebe na manhã de hoje (6) o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, líderes de partidos e ministros para um café da manhã, no Palácio da Alvorada.

Participam do café ministros como o da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do Planejamento, Dyogo Oliveira. Dentre os parlamentares estão os deputados Baleia Rossi (PMDB-SP), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Celso Russomanno (PRB), André Moura (PSC-SE), Arthur Maia (PPS-BA) e Darcísio Perondi (PMDB-RS).

Nos últimos dias o governo intensificou as articulações com parlamentares para votar o texto da reforma e alcançar a aprovação. No último domingo (3), Temer reuniu-se com aliados em almoço no Palácio da Alvorada e em jantar na residência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para tratar do tema.

A intenção do governo é votar o texto da reforma na Câmara ainda este ano. Ontem (5), o ministro-chefe da Casa Civil, Elise Padilha, disse que cresceu muito a probabilidade de se aprovar a reforma. Ele acredita ser possível votá-la na Casa ainda em 2017. 

Para aprovar o texto na Câmara é necessário garantir votos de 308 deputados. A proposta de reforma da Previdência foi enviada pelo Executivo ao Congresso Nacional em dezembro de 2016.

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

Bombeiros e policiais militares serão contemplados com 408 residências em Porto Velho

Bombeiros e policiais militares serão contemplados com 408 residências em Porto Velho

Alguns praças da Polícia Militar que estavam na reunião afirmaram que, do jeito que a coisa está, beneficiará apenas os oficiais, que possuem salário alto. “Nós não vamos permitir que isto ocorra. Vamos à Câmara de Vereadores cobrar para que não seja aprovado o projeto de lei pedindo a prorrogação do prazo para a construção do condomínio, não com estes valores atuais”, disse um dos policiais.