Secretária da Seduc visita o Planejamento Estratégico do Sintero e confirma o pagamento em junho do reajuste salarial da greve

A visita da secretária atendeu a um convite da Direção do Sintero para tratar de assuntos de interesse dos trabalhadores em educação com toda a Diretoria Executiva.

Assessoria Sintero
Publicada em 11 de junho de 2018 às 14:21
Secretária da Seduc visita o Planejamento Estratégico do Sintero e confirma o pagamento em junho do reajuste salarial da greve

Reunido na semana passada  para elaborar o planejamento estratégico para o triênio 2018/2020, o Sistema Diretivo do Sintero recebeu na sexta-feira (09) a visita da secretária de Estado da Educação, Mari Angélica Silva Ayres Henrique.

A visita da secretária atendeu a um convite da Direção do Sintero para tratar de assuntos de interesse dos trabalhadores em educação com toda a Diretoria Executiva, com os Diretores Regionais e com os membros do Conselho Fiscal.

Os dirigentes do Sintero fizeram uma série de questionamentos à secretária, que respondeu um a um.

Sobre a progressão parcial a secretária informou que já foi publicada portaria autorizando a concessão de horas extras para os professores que precisarem trabalhar fora da carga horária, no limite de 10 horas extras por mês. Ela também informou que o governo utilizará a residência pedagógica de formandos para o atendimentos aos alunos que precisarem da progressão parcial.

Acerca do projeto Gênesis, Maria Angélica disse que o programa está sendo muito importante para reorganizar as lotações, mas que será concluído até o dia 15 de julho. Relatou que encontrou muitas dificuldades na reorganização, e que os problemas maiores estão nas APAEs, já que muitas não possuem convênio com o governo e por isso as lotações estão irregulares. Ela disse que espera regularizar toda a situação e convidou os dirgentes do Sintero para acompanhar a conclusão dos trabalhos.

Quanto ao cumprimento do acordo que finalizou a greve a secretária confirmou que o reajuste salarial concedido está confirmado para ser pago na folha de junho, com todas as vantagens.

Já sobre a reposição das aulas do período de greve, Maria Angélica confirmou que a Seduc está respeitando a autonomia concedida às escolas e à comunidade escolar para a elaboração do calendário, desde que seja cumprida carga horária estabelecida por lei.

A Direção do Sintero questionou quanto à não participação dos representantes dos trabalhadores em educação em eventos realizados para discutir educação. A secretária disse que vai encaminhar memorando às Coordenadorias Regionais de Ensino determinando que seja enviado ofício ao Sintero quando da realização de reuniões, seminários, debates e outros eventos que se destinam a discutir educação.

Acerca do processo seletivo aberto pela Seduc, Maria Angélica disse que, embora haja excesso de servidores em determinadas áreas, há carência de professores em outras, como matemática. Por isso, segundo ela, há necessidade de contratação através do processo seletivo. Ela citou escolas em que os alunos ainda não tiveram aulas de matemática neste ano.

Sobre a licença prêmio, a secretária defende a liberação para que os servidores utilizem o período para descanso, mas informou que muitas vezes as concessões são negadas por falta de substitutos.

Ela disse que já provocou a Procuradoria Geral do Estado sobre a solicitação para que seja mantida a gratificação de docência aos professores e a gratificação de unidade escolar aos Técnicos Educacionais que tiram licença prêmio, e aguarda resposta.

Quanto ao pagamento em pecúnia, o governo do estado vem mantendo os R$ 300 mil por mês, mas  valor às vezes não chega a ser suficiente para pagar as prioridades, como servidores pordadores de doenças graves ou terminais.

A secretária Maria Angélica foi informada pelo Sintero que existem processoa administrativos para a concessão do Auxílio Transporte em 16 localidades, e foi questionada sobre a demora na tramitação. Ela se comprometeu em buscar informações acreca da tramitação desses processos para informar ao Sintero.

A secretária disse que no curto período em que está à frente da Seduc, está priorizando os setores onde há mais problemas a serem resolvidos, para que a secretaria funcione a contento.

Depois de fazer toda a explanação sobre a pauta estabelecida, Maria Angélica respondeu a diversos questionamentos pontuais sobre muitos temas, feitos pelos diretores da Executiva e das Regionais.

A presidente do Sintero, Lionilda Simão, considerou positiva a visita da secretária, por tratar-se de uma oportunidade para que todos os diretores do Sintero, da Capital e do interior, possam tratar diretamente com o governo sobre os assuntos importantes para os trabalhadores em educação.

“É diferente uma audiência com quatro ou cinco diretores, de uma grande reunião como essa, em que todos os diretores possam tomar parte das discussões. Isso fortalece o trabalho dos diretores Regionais, que podem levar as informações a todos os trabalhadores em educação do estado”, disse.

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook