Rondônia ganha recursos para combate às endemias

São R$ 660 mil para aquisição de caminhonetes direcionadas para atividades de prevenção e controle de doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti.

Ministério da Saúde
Publicada em 18 de June de 2018 às 20:23
Rondônia ganha recursos para combate às endemias

O anúncio foi feito pelo ministro Gilberto Occhi, durante visita ao Hospital de Amor Amazônia.

A população de Rondônia ganhou, nesta segunda-feira (18), mais um reforço para ampliar e qualificar os atendimentos de saúde pública. O Ministério da Saúde está liberando R$ 660 mil para aquisição de seis caminhonetes para combate às endemias no estado. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Gilberto Occhi, durante visita à nova sede do Hospital de Amor Amazônia, em Porto Velho (RO). A unidade, que é vinculada ao antigo Hospital do Câncer de Barretos, está sendo finalizada no estado para oferecer todas as especialidades no tratamento de câncer por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Os recursos do Ministério da Saúde, anunciados para aquisição dos veículos de combate às endemias, contemplam os municípios de Ariquemes, Alta Floresta D´Oeste, Machadinho D´Oeste, Cerejeiras, Cujubim e Seringueiras, que receberão uma caminhonete, modelo pick-up Mitsubishi, cada. Os veículos serão utilizados em atividades de prevenção e controle de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti e apoio a visitas domiciliares e estratégicas nos municípios contemplados.

Ainda em Porto Velho, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, assinou documento que prevê a liberação de R$ 1 milhão para o município construir uma Unidade Básica de Saúde (UBS) por meio do Programa Requalifica UBS, estratégia da pasta voltada para estruturação e fortalecimento da Atenção Básica, principal porta de entrada para o Sistema Único de Saúde (SUS). 

Para receber o recurso, a gestão local deverá formalizar a proposta junto ao Ministério da Saúde e manter todas as atualizações relativas à evolução da obra atualizadas nos sistemas de informação e monitoramento do Governo Federal. 

HOSPITAL DE AMOR AMAZÔNIA

O hospital começou suas atividades em 2017, utilizando parte da estrutura do Hospital de Base de Porto Velho, que continua recebendo as internações e realizando os procedimentos cirúrgicos com todos os atendimentos pelo SUS. Procedimentos ambulatoriais, como consultas e exames laboratoriais e de imagem, além de tratamentos de quimioterapia e radioterapia, já são oferecidos na nova sede, que deve ser concluída ainda este ano.

"O Ministério da Saúde está avaliando a possibilidade de trazer um acelerador linear, equipamento mais moderno no mundo para tratamento oncológico, para o Hospital de Amor. Nós já adquirimos 80 desses equipamentos e estamos estudando os locais onde há maior necessidade. Queremos analisar, o mais rápido possível, a situação do estado para que a população receba o atendimento aqui mesmo e não precise se deslocar para outras regiões", destacou o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

Ao todo, o Governo Federal investiu R$ 14,3 milhões, por meio de emendas parlamentares, para aquisição de equipamentos e materiais permanentes para o Hospital de Amor, de Porto Velho (RO), que é vinculado à Fundação Pio XII, responsável pela gestão das unidades de Barretos, São Judas Tadeu, Jales e Fernandópolis, em São Paulo; Juazeiro, na Bahia; e Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook