Hora de definições

Na atual quadra difícil da vida nacional, cabe ao eleitor recolher-se, desde agora, ao interior da própria consciência para analisar com seriedade, critério, discernimento e honestidade a sua preferência política.

Valdemir Caldas
Publicada em 01 de novembro de 2017 às 09:00

No momento em que se aproximam as eleições para presidente da República, governador, deputados federal e estadual, longe de o eleitor rondoniense deixar-se entusiasmar pelas promessas melodiosas e os discursos fáceis, proferidos por hipócritas, travestidos de cidadãos honestos.

Na atual quadra difícil da vida nacional, cabe ao eleitor recolher-se, desde agora, ao interior da própria consciência para analisar com seriedade, critério, discernimento e honestidade a sua preferência política.

É preciso compreender que, para se alcançar o futuro, não existem atalhos. Caso contrário, continuaremos a assistir as mesmas cenas de corrupção que mancham a imagem do nosso país e nos colocam no pódio das nações mais corruptas.

No cenário estadual, as articulações de bastidores em torno das pré-candidaturas à sucessão do governador Confúcio Moura se desenvolvem em ritmo frenético, apesar de alguns possíveis concorrentes evitarem falar de seus nomes abertamente, até para não ferir aliados nem comprometer futuras alianças.

A cúpula do PMDB indicou o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Maurão de Carvalho, como pré-candidato. O senador Valdir Raupp, segundo Tomas Correa, tentará a reeleição, o que não será tarefa fácil, por motivos óbvios.

Modestamente, acho que a melhor coisa que o senador deveria fazer era recolher-se ao merecido ócio, pois, como disse o próprio Tomás, ele já “prestou relevantes serviços ao Estado”. Está na hora, portanto, de abrir espaço para novas correntes políticas.

E o governador Confúcio, vai bater chapa com Valdir Raupp, seu colega de partido, ou disputará uma vaga à Câmara Federal? Por enquanto, Confúcio continua quieto. Na hora certa, ele dará o bote.

Aos poucos, as correntes políticas vão-se agrupando, deixando o cenário bem mais claro para o eleitor. Já temos o senador Acir Gurgacz, como forte candidato pelo PDT. Agora, o PMDB fechou com o deputado Maurão de Carvalho.

Na briga para o senado, aparecem Jesualdo Pires, o ex-senador Expedito Junior e o jovem deputado estadual Léo Moraes. O competente vereador Aleks Palitot vem sendo estimulado a entrar no páreo. Eu acrescentaria na lista de possíveis concorrentes o pastor Aluízio Vidal. O problema é que só há duas vagas.

Comentários

  • 1
    image
    Telma Rodrigues 01/11/2017

    "Na hora certa, Confúcio dará o bote"... A figura de linguagem utilizada pelo escriba não é nem um pouco respeitosa. Confúcio está governando RO há quase sete anos, com dignidade, competência e honestidade. Nenhum deslize se comprovou contra ele, até o momento. Conseguiu (ao contrário da maioria dos estados da união) manter RO no caminho do desenvolvimento, pagando salários em dia e promovendo investimentos sérios nas pastas mais importantes. Assim, Sr. Caldas, ao invés de utilizar a expressão DAR O BOTE (coisa de cobra), melhor seria dizer que Confúcio colherá os frutos diante de um ótimo trabalho realizado ao longo de duas gestões com resultados elogiáveis e exemplares. Não sei quem está, de fato, querendo dar o bote na opinião do leitor...

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook