Gilmar Mendes manda soltar empresário investigado na Operação Rizoma

A prisão foi determinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal no Rio de Janeiro.

André Richter – Repórter da Agência Brasil
Publicada em 16 de maio de 2018 às 10:06
Gilmar Mendes manda soltar empresário investigado na Operação Rizoma

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes mandou soltar ontem (15) o empresário Milton Lira, investigado na Operação Rizoma, da Polícia Federal (PF), deflagrada no mês passado, no Rio de Janeiro. Lira é investigado pela suposta participação em desvios nos fundos de pensão Postalis, dos Correios, e Serpros, do Serpro.

A prisão foi determinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal no Rio de Janeiro. Segundo as investigações, valores oriundos dos fundos de pensão eram enviados para empresas no exterior, gerenciadas por um operador financeiro. As remessas, apesar de aparentemente regulares, referiam-se a operações comerciais e de prestação de serviços inexistentes.

Ainda segundo a PF, depois de receber os recursos desviados, o operador financeiro pulverizava o dinheiro em contas de doleiros também no exterior, e eles disponibilizavam os valores em espécie no Brasil para suposto pagamento de propina.

Após a prisão, a defesa do empresário declarou que todas as atividades de Lira tem origem lícita. 

"A defesa assevera ainda que as atividades profissionais do empresário são lícitas, o que já foi comprovado em diversas oportunidades, e que seu cliente está e sempre esteve à disposição para colaborar com a Justiça e com a investigação".

Em nova manifestação divulgada nesta terça-feira, o advogado Pierpaolo Bottini, representante de Lyra, declarou que a decisão do ministro Gilmar Mendes foi "acertada e reconheceu que a prisão preventiva foi decretada sem os requisitos autorizadores para a medida cautelar".

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook