Cientista norte-americano é destaque em seminário sobre populações tradicionais

O evento receberá o cientista norte-americano Philip Fearnside, pesquisador titular do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA).

Assessoria de Comunicação institucional
Publicada em 13 de junho de 2018 às 09:52
Cientista norte-americano é destaque em seminário sobre populações tradicionais

Nesta quarta-feira (13), das 14h às 22h, acontece no auditório do Tribunal de Justiça de Rondônia (rua José Camacho, 585, Olaria) o seminário acadêmico “Direitos Humanos e populações tradicionais, periféricas e pauperizadas nos contextos das novas ordens globalizadas”, promovido pelo mestrado profissional interdisciplinar em Direitos Humanos e Desenvolvimento da Justiça (DHJUS).

O evento receberá o cientista norte-americano Philip Fearnside, pesquisador titular do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), com sede em Manaus, e um dos agraciados pelo Prêmio Nobel da Paz de 2007, com a equipe do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

Currículo

Natural de Berkeley, na Califórnia, é doutor em Ciências Biológicas pela Universidade de Michigan – Ann Arbor e estuda problemas ambientais na Amazônia brasileira desde 1974, tendo morado por dois anos na rodovia Transamazônica antes de entrar para o INPA, em 1978. Dr. Philip realiza pesquisas ecológicas, incluindo a estimativa de capacidade de suporte de agroecossistemas tropicais para populações humanas, e estudos sobre impactos e perspectivas de diferentes modos de desenvolvimento na Amazônia e sobre as mudanças ambientais decorrentes do seu desmatamento.

Desde 1992, o cientista vem promovendo o desenvolvimento sustentável para as populações rurais na região. Em 2006, ele recebeu do Ministério do Meio Ambiente o Prêmio Chico Mendes, na área de Ciência e Tecnologia, e foi identificado pelo Instituto de Informações Científicas (Thomson-ISI) como o segundo cientista mais citado no mundo na área de aquecimento global. No ano seguinte, ao lado dos demais cientistas do IPCC e do vice-presidente norte-americano Al Gore, recebeu o Nobel “pelos esforços da organização em construir e disseminar um maior conhecimento sobre as alterações climáticas provocadas pelo homem e para estabelecer as bases às medidas necessárias para neutralizar tais mudanças”.

Programação

Dr. Philip abrirá a programação, às 14h30, com a palestra de mesmo nome do seminário. Em seguida, o coordenador do evento e professor do DHJUS, Marco Teixeira, mediará uma mesa de debates entre o palestrante e oeducador popular Iremar Ferreira, mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. A partir das 16h30, trabalhos e comunicações com temática socioambiental serão apresentados pelos acadêmicos do DHJUS, de outras instituições e grupos de pesquisa, com a finalidade de organizar uma publicação temática específica.

A partir das 19h, Marco Teixeira conduzirá a mesa-redonda programada para a noite, iniciando com sua exposição “A construção sociocultural da pobreza nas sociedades periféricas do Ocidente”. A seguir, Iremar Ferreira abordará o tema “As transformações do modo de vida das populações tradicionais ribeirinhas do Madeira: de comunidades a periféricos e da autossuficiência à vulnerabilização”. Finalizando as exposições, Dr. Philip tratará sobre “Hidrelétricas na Amazônia e conflitos com as populações tradicionais: expulsões e pauperizações”. O seminário será encerrado com a apresentação de documentário e debate.

As inscrições gratuitas para as 180 vagas abertas ao público seguem até as 23h59 desta terça-feira (12), no menu Inscrições no Portal da Emeron. Caso haja o preenchimento do número de vagas antes do prazo, estas serão automaticamente suspensas.

O evento é realizado em parceria entre a Escola da Magistratura do Estado de Rondônia (Emeron) e a Universidade Federal de Rondônia (Unir).

com informações da Emeron

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook