Associação dos Ferroviários da EFMM solicita do IPHAN tombamento dos 366 km da via férrea

Considerando a extrema necessidade de preservação do bem maior dos rondonienses, a associação exige da União que olhe com mais atenção e carinho para o bem público.

Foto/ Emmanuel Gomes
Publicada em 25 de março de 2017 às 10:37

O presidente da Associação dos Ferroviários da Estra de Ferro Madeira- Mamoré, José Bispo, e o vice-presidente, George Telles de Menezes, estiveram no início da tarde desta sexta-feira (24) no Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional em  Rondônia IPHAN  , para protocolar o pedido de tombamento do trecho da EFMM no percurso após os 8 quilômetros tombados até os 366  quilômetros que dão acesso ao final Estrada, no antigo prédio da estação ferroviária de Guajará Mirim (RO).

Devido ao grande valor histórico da ferrovia, a Associação dos Ferroviários da Estrada de Ferro  ressalta ao IPHAN  que a construção da EFMM garantiu ao Brasil a posse da fronteira com a Bolívia e permitiu a colonização das extensões do território amazônico, iniciando na Capital,  Porto Velho, fundada em 4 de julho de 1907 ,  e se estendendo,  com o ciclo da borracha,  até a cidade Guajará Mirim.

Considerando a extrema necessidade de preservação do bem maior dos rondonienses, a associação exige da União que olhe com mais atenção e carinho para o bem público, e por isso solicita a atenção dos órgãos para as ações de revitalização  e restauração da linha férrea, retornando a ativação do turismo  em Rondônia.

Comentários

  • 1
    image
    Utssunami 25/03/2017

    Ainda existe essa ferrovia? Ela esta quase destruida não pela ferrugem e sim pelo o abandono, logo as ponte irão a pique, os trilhos tudo foram roubados, os dormentes hoje devem esta servindo de decorações em algumas casas de bacanas fora do estado. Tombar o que? Só se tombar o resto para as águas do madeira.

Envie seu Comentário