03/01/2017 - 22h36min - Atualizado em 03/01/2017 - 22h36min

A esperança é a última que não morre

Candido Ocampo

            Ao perder toda a esperança, o ser humano torna-se um morto-vivo. Não por acaso, Dante Alighieri, no poema Divina Comédia, inscreveu no vestíbulo do inferno: “Ó, vós que entrais, abandonai toda a esperança”.

            Num país onde, após 516 anos, quase dez por cento da população é formada por analfabetos absolutos (não sabe ler nem escrever), e pouco menos da totalidade do restante de seus habitantes lê e escreve, mas não entendem nada (¾ de analfabetos funcionais - vide os dados do último Pisa, o exame mundial do ensino, da OCDE), onde, portanto, a ignorância é quase uma cláusula pétrea, manter a esperança não é algo simples.

            Toda passagem de ano há uma inexplicável (quase ingênua) renovação de nossas esperanças. Esquecemos que há - e há muito – o que avançarmos.

Na esfera pública, nossas instituições padecem do mesmo mal daqueles que a integram: ausência de espírito republicano. O personalismo – uma herança ibérica - que permeia nossa cultura governamental não permite que as estruturas de Estado mantenham seu curso natural, como em qualquer sociedade moderna.

            O Estado brasileiro virou refém de corporações de interesses, sobretudo aquelas formadas pelos grandes grupos econômicos e de servidores públicos.

A Operação Lava-Jato expôs as mazelas de nossa plutocracia. A caixa-preta da corrupção público-privada estar sendo desvendada, e, mais do que isso, desmontada; ao menos na sua parte mais perversa: a que privava - e ainda priva - os brasileiros de recursos absolutamente indispensáveis às mais elementares necessidades que devem ser providas pelo Poder Público (saúde, educação, segurança)

       Contudo, outra caixa-preta - ainda mais preta, porque é imoralidade revestida de legalidade - há que ainda não foi aberta. O Estado brasileiro tornou-se hospedeiro e subserviente das mais diversas classes de servidores públicos.

            Principalmente no Judiciário e Legislativo, os supersalários são uma chaga que envergonha a nação. O impávido Ministério Público, que, segundo nossa Constituição, é o paladino da ordem jurídica, faz olhos-cegos ao tema, pois grande parte de seus integrantes, mormente dos estados, são agraciados com vencimentos que ultrapassam, e muito, o teto constitucional. O mesmo ocorre com os juízes.

            Engendram terminologias das mais diversas para escamotear o limite legal. Pletoram em seus contracheques adicionais de toda ordem: de ajuda de custo; de auxílio paletó; de auxílio-moradia (mesmo para os que têm casa própria); de auxílio-creche; auxílio-saúde; auxílio-locomoção...enfim, é uma festa, só que com dinheiro da população.

            Esses privilégios, dentre tantos outros, para a desgraça da sociedade brasileira, se estendem para muitas outras categorias funcionais. 

            O sistema previdenciário do setor público só não deixou de pagar os seus beneficiários porque é público, pois, deficitário desde sempre, vive à custa de aumentos sucessivos de impostos, único meio que os governos estaduais e federal encontram para pagar aposentados com cinquenta anos de idade. 

            Inverteu-se a ordem natural das coisas: aqueles que deveriam servir são servidos pelo Estado.

              Sejamos francos. Não dá para acreditar em um país onde um magistrado, quando comete algum delito funcional, é “punido” com aposentadoria compulsória, sem perder o salário. Não dá para acreditar em um país onde os senadores indicam seus suplentes (geralmente um cúmplice). Não dá para acreditar em um país onde o Ministério Público (o paladino) leva sete anos para denunciar o presidente do Senado e, o Supremo Tribunal Federal, mais três anos só para receber a denúncia. Não dá para acreditar em um país onde um balconista da Justiça do Trabalho ganha mais do que um médico e/ou professor da rede pública. Não dá para acreditar em um país onde a sua polícia mais prestigiada (a PF) mantém em seus quadros um funcionário condenado definitivamente pela Justiça por desvio de conduta (o japonês) e, por ironia, ainda continua escoltando corruptos. Não dá para acreditar em um país onde os seus cidadãos insistem em eleger políticos com reputações pra lá de duvidosas. Não dá para acreditar...

              É; não dá para acreditar. Mas, para nós, idiossincráticos brasileiros, para ter esperança, não precisamos acreditar.

            Cândido Ocampo, cidadão rondoniense.     

“Aquele que não conhece a verdade é simplesmente um ignorante. Mas, aquele que a conhece e diz que é mentira, este é um criminoso” (do dramaturgo e poeta alemão Bertholt Friedrich Brecht).

Leia também:

comentários

COMENTÁRIOS


Avatar de PAULO ROGERIO JOSE

Postado por PAULO ROGERIO JOSE em 04/01/2017 às 07:59

Amigo Cândido, concordo contigo. Mas, desde 1500 não tivemos democracia e depois de 1988 o estado democrático de direito é pleno, assim, tudo que vemos hoje sempre existiu, mas agora é plenamente divulgado, prisões de pessoas importantes é real. Para quem passou pelo período da ditadura, como eu, sabe que estamos vivendo o melhor dos mundos. Dr Cândico leia o artigo EM 1917 de Roberto Pompeu de Toledo, Revista Veja, de 28 de dezembro de 2016, relato histórico desse ano emblemático ha 100 anos. ABs

177.1.97.116

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 16:55:00

PARCERIA DA EMDUR, FIERO E SISTEMA S É PROPOSTA PARA CAPACITAÇÃO

Pensando na cidade do futuro, o diretor-presidente da EMDUR disse  que é fundamental ter parcerias como as debatidas nesta sexta com o presidente da Fiero, Marcelo Thomé.

GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 16:52:00

Prefeitura de Porto Velho mantém forte ritmo de trabalho nos bairros

Considerando a utilização de mão de obra e maquinários próprios, os custos são muito baixos.

GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 16:50:00

MP firma TAC com hospitais particulares de Ariquemes, visando melhor atendimento a pacientes internados

Por meio do documento, os representantes dos hospitais fizeram um “pacto pelo bom e regular atendimento de saúde a ser prestado pela rede particular, devendo primar pela revisão de todos os seus atos procedimentais.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/02/2017 ás 16:05:00

Empresas que comercializam Rondocap terão que pagar dano moral coletivo e oferecer condições dignas a seus vendedores

aA magistrada determinou expedição de ofício ao MiPF e à PF para apuração de eventual conduta , tal como : frustar, mediante fraude ou violência, direito assegurado pela legislação do trabalho.

GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:58:00

Nota de pesar pelo falecimento do ex-servidor do TRE-RO jornalista Francisco Gilson de Oliveira, o Campeao

O sepultamento ocorreu às 16h (horário de Brasília) desta sexta (24), no cemitério São João Batista daquele município paulista.

GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:56:00

Nova autorização permite operação da UHE Santo Antônio na cota 71,3 m

Autorização Especial n° 9/2016, que permitia a operação da UHE Santo Antônio na cota 71,3 metros, havia sido cancelada pelo Ibama em razão de decisão liminar da 5ª Vara Federal Ambiental e Agrária.

GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:52:00

ICMBio recebe R$ 55 milhões para Rondônia

Recursos oriundos de compensação ambiental vão ser usados na regularização fundiária da Reserva Biológica do Jaru (RO) e do Parque Nacional Mapinguari (RR).

POLíTICA | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:45:00

Deputado Dr. Neidson cobra a retomada das obras do Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia- Heuro

A pedra fundamental do Hospital foi lançada pelo Governador Confúcio Moura no dia 20 de Dezembro de 2013, até então na época a expectativa de conclusão da obra era de apenas 1 ano e meio.

POLíTICA | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:39:00

Aélcio da TV pede asfaltamento no Orgulho do Madeira

Indicação visa atender manifestações recebidas de futuros moradores do empreendimento e moradores do Bairro Mariana.

POLíTICA | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:17:00

Maurão de Carvalho recebe diretores do jornal Alto Madeira, que completa 100 anos em abril

Assembleia deverá realizar Sessão Solene em homenagem ao centenário do periódico.

GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:13:00

Incra/RO recebe pauta dos movimentos sociais em Jaru e Ji-Paraná

O movimento apresentou reivindicações em cerca de 30 áreas em todo o estado. A maioria trata de aquisição de terras, regularização fundiária, assentamento de famílias, construção de estradas vicinais, energia, educação e cestas básicas.

POLíTICA | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:09:00

Cleiton Roque indica recapeamento da RO 387 em Espigão do Oeste

Parlamentar cita que rodovia está tomada por buracos e inviabilizando acesso à área urbana.

GERAL | matéria escrita em 24/02/2017 ás 15:02:00

Conselheiro federal Elton Assis defende ampliação do texto da Súmula do Nepotismo

Segundo Elton Assis, a intenção da Ordem é fazer com que fique claro, no texto, que a proibição ao nepotismo também se aplica a cargos de indicação política.

POLíTICA | matéria escrita em 24/02/2017 ás 14:49:00

Dr. Neidson participa de assembleia geral do Fundo de Erradicação da Pobreza

O parlamentar ressaltou a importância dessas ações para a população ribeirinha do Estado.

POLíTICA | matéria escrita em 24/02/2017 ás 14:50:00

Jean Oliveira intercede junto ao DER por melhorias para Alto Alegre 

Prefeito agradece ao parlamentar pelas obras executadas pelo governo do Estado.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2017 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com